22 de nov de 2012

O Sincretismo do Natal

|



Desde criança somos apresentados ao natal como o aniversário de Jesus, mas quando crescemos descobrimos que fomos enganados. Já foi historicamente comprovado de que Jesus não nasceu no dia 25 de dezembro e que essa data foi escolhida pela igreja católica como forma de “adaptar” o culto cristão aos habitantes da época.
O Natal cristão é uma festa Sincrética, ou seja, foi criada da adaptação dos costumes de várias religiões antigas (as mesmas que eles hoje em dia tarjam de satânicas). E não é só no natal que o sincretismo está presente, ele se apresenta em boa parte do calendário comemorativo cristão. Outros exemplos são a páscoa e o Halloween (Ou dia dos mortos em alguns países).
É meio difícil de entender o porquê da Igreja Medieval tão conhecida pelo seu passado de perseguição e intolerância, movendo Cruzadas e instituindo a Inquisição. Cedeu a pressão social na época para aceitar sincretismos que vão das fusões de festas tradicionais a Transformação de mártires e mesmo de divindades de povos como os Celtas em santos Católicos.
Os fatos que mostram o sincretismo do natal
O Dia 25 de Dezembro – É na realidade o dia de Mitra (O deus solar persa. Que representava o bem e a libertação da máteria). Naquela época a maioria do império Romano era MITRAÍSTA. O Mitraísmo é uma religião maniqueísta Persa, parecida com o Zoroastrismo, ainda existente no Oriente Médio.
Ou seja, foi por isso que a igreja Cristã do Ocidente e hoje determinada Católica Apostólica Romana aderiu ao dia e Mitra como a data do nascimento de Jesus, para incorporar as tropas ao cristianismo. Em quanto isso a igreja Cristã do Ocidente, hoje chamada de Igreja Ortodoxa comemora o natal no dia 07 de Janeiro.
Outra teoria forte é que a ocorrência do natal no inverno seja para associar o nascimento de cristo às tradições da maioria dos povos pagão da Europa. Entre eles Celtas e Nórdicos que cultuam no Yule (por volta de 21 de dezembro) o nascimento do deus Cornífero (que também representa o sol), e que por sua vez é o deus mais injustiçado pela igreja católica que atribuiu ao demônio as características físicas que antes eram atribuídas a ele.
A Troca de Presentes – Acredita-se que se originou por ser um costume dos Romanos durante os seus Festivais de Inverno como a Saturnalia (17 de Dezembro). Os Romanos como politeístas tinham ainda festas nos dias 18 (Festival de Epona), 19 (Opalia), 21 (Divalia), 23 (Lorentalia) e 25 (Sol Invictus).
O Nome NATAL – A palavra Natal vem do Latim Dies Natalis Solis Invicti, usada pelos cristãos primitivos. Eles associaram o nascimento de cristo ao festival do Deus Marte (Apolo).
Papai Noel – A aparência do bom velhinho é um caldeirão de misturas. A sua imagem de velhinho é uma alusão a deuses como Zeus e Odin, que também originam o imaginário popular a imagem de Jeová como um homem Idoso. A imagem também evoca ao santo cristão São Nicolau que dá origem ao nome Santa Claus, como é chamado o Papai Noel em inglês. E ainda ao santo da Igreja Bizantina São Basílio de Cesáreia que tem uma história bem semelhante a de são Nicolau. Inicialmente suas roupas eram verdes com detalhes brancos ou prateados e visava lembrar as roupas de um lenhador. A roupa vermelha que ele veste hoje vem de 1886 quando o cartunista alemão Thomas Nast o teria retratado assim para a revista Haper’s Weeklys. Em 1931 a Coca-cola aproveitou a imagem criada pelo cartunista em uma jogada de marketing e assim acabou-se disseminando a moda da roupa vermelha.
Árvore de Natal – Árvores eram sagradas para os povos pagãos europeus e pinheiros em especial para os Nórdicos que no Solstício de inverno cortavam pinheiros e o enfeitavam de maneira bem parecida com a de hoje. A tradição passou aos povos Celtas e Germânicos e em 1510, a primeira árvore de natal era enfeitada em Riga, na Letônia
As Guirlandas – São Costumes dos povos Celtas e Germânicos.
"Após ler tudo isso cabe a você responder a si mesmo. Qual o motivo de tantas adaptações? Foi para coisas desse tipo que serviram o concilio de Trento e de Nicéia. Será que houveram outras decisões que se encontram omitidas até hoje? Por que a igreja esconde tantas coisas?
É por essas e outras coisas que filmes como Estigmata e O Código Da Vinci não deixam de ter um certo fundo de verdade."
Kris Oliveira
(Em caso de cópia, por favor,
 Dar os devidos créditos.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo (a)! Sua opnião é muito importante.
Blessed Be e volte sempre :)

Visite :